A entrada do golfo de Arcachon, na costa atlântica francesa, perto de Bordeaux, a duna de Pilat (algumas vezes grafada como Pyla) é a mais alta e extraordinária duna de areia da Europa, com 117m, crescendo 4m por ano.

Há muito tempo a duna serve de orientação para os marinheiros, mas hoje em dia é mais usada como mirante por turistas que sobem por uma escada de madeira em sua face leste para ver o mar.

Seu nome deriva de uma palavra que, na língua d’oc do século XV, significava, simplesmente, “monte de areia” e era usada em referência a um banco de areia mais ao norte, que foi desgastado pelo vento no século XVIII e formou a base da duna atual. A Pilat cresce rapidamente.

Hoje tem por volta de 60 milhões de metros cúbicos de areia. Sem nenhum tipo de vegetação, afasta-se pau-latinamente do mar, ameaçando encobrir uma floresta adjacente. A costa em torno da duna é muito explorada comercialmente, mas há ilhas não muito afastadas que possuem grande quantidade de pássaros e são facilmente acessíveis de barco.

O rio Tarn

Um rio pequeno mas muito extenso, que flui do sopé do monte Lozère até confluir com o Garonne, em Moisac. Possui um dos mais belos desfiladeiros da França, formado pelo curso do rio, que desgastou as rochas calcárias das desérticas Granas Causses.

As Causses são um vestígio do que há 120 milhões de anos era um vasto golfo no mar Mediterrâneo. Suas bizarras formações rochosas foram esculpidas pelas águas durante um longo período. As estranhas paisagens resultantes são conhecidas pêlos geólogos como formações cársticas. O nome vem de Karst, uma região da Eslovênia que possui estruturas geológicas semelhantes.

O trecho mais encantador do desfiladeiro do Tarn talvez seja a extensão de 60km entre Florac e Lê Rozier. Saindo de Lê Rozier, o melhor caminho é o balizado em homenagem a uma formação rochosa local, o Rocher de Capluc. A vila de La Malène organiza passeios a bordo de barcos com fundo de vidro. Numerosas espécies de aves nidificam nos imponentes penhascos que margeiam o rio, dentre as quais a águia-real, o bufo-real e o falcão-peregrmo. As Causses são apropriadament conhecidas na região como “caos”. Uma das mais interessantes encontra-se em Nímes-le-Vieux, a nordeste de Meyrueis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *