Conheça a mais famosa e mais lendária maravilha natural da Eslovênia

A cascata alta foi imortalizada pelo poeta esloveno do século XIX Francês Preseren, em sua influente obra Krst prí Savid (“Batismo em Savica”), que celebra o nacionalismo do país e pede a independência do Império Austro-Húngaro.

A cachoeira fica na região de Gorenjska – o “jardim verdejante no lado ensolarado dos Alpes”. Savica é também uma fonte cujas águas emergem do paredão do penhasco Komarca. O relevo ao redor, 500m acima do nível do mar, abriga vários canais subterrâneos que levam as águas à borda do precipício.

Depois de percorrer 78m numa única queda vertical, as águas alcançam o lago Bohinj e de lá correm para leste, pelo rio Sava, por mais de 1000km e se juntam ao Danúbio. A região ao redor do lago Bohinj é uma das mais belas da Eslovênia. Chegar à cachoeira Savica não é para fracos – requer uma escalada de 20 minutos em uma escadaria de madeira que começa no estacionamento.

Parque Nacional Krka

Área do Parque Nacional Krka: 111kmz Extensão do rio Krka: 72 km Fluxo das quedas de Krka: 1.5571/s e sua nascente, num poço artesiano ao pé do monte Dinara, na Dalmácia, o rio Krka corre por 72 km até o mar Adriático. Ao longo dessa viagem ele flui por sobre um cal cano macio, escavando e aparando cânions pelo caminho.

O que existe de fenomenal nesse processo é que, ao mesmo tempo em que cria desfiladeiros, ele também deposita sedimentos calcários dissolvidos e, portanto, constrói várias represas naturais ao longo de seu curso. Hoje o rio abriga sete magníficas cachoeiras. A mais espetacular delas é Skradinski Buk, também conhecida como quedas de Krka.

Nessa cachoeira as águas despencam por 240m, em uma série de 17 degraus, com uma queda vertical total de 45m As cachoeiras ao longo do rio Krka são relativamente jovens – têm menos de 10 mil anos. A alta taxa de sedimentação calcária, contudo, garante que a paisagem ao redor do rio Krka esteja em constante mutação. Depois das quedas de Krka, o rio se alarga, formando o lago Visovac.