GUIA BÁSICO PRA INVESTIR EM AÇÕES: TUDO que você PRECISA SABER antes de investir em AÇÕES!

1.647.871 visualizações20 de ago. de 2020

Primos e primas, esse vídeo é chave aqui no canal do Primo. Especialmente agora, que tem tanta gente entrando na bolsa de valores. A gente tem quase três milhões de investidores, CPF… E isso é um movimento forte, novo. E um movimento sem volta. E, por isso, a gente precisa clarear o mercado de ações da forma correta. Então, não vou falar aqui sobre como você analisar da forma mais profunda uma ação. O que eu vou fazer aqui é dar toda introdução, que todas as pessoas precisam assistir e ter como base antes de você começar a investir seu dinheiro em ações de fato. E, se você já investe, você também vai se beneficiar desse vídeo, porque tem muito conteúdo. A gente preparou uma linha de raciocínio que funciona e vai agregar valor para qualquer um. Ok? Então, fica comigo no vídeo até o final. Esse vídeo vai ser dividido em algumas partes importantes. Primeiro, a gente vai falar sobre o que são ações. Depois, sobre os tipos de mercado: o mercado primário e o secundário. A gente vai fala depois sobre a segurança de se investir em ações. Como funciona, o que nos garante, o que não garante. Quais são os tipos de ações que existem. A gente vai falar de Dividend Yield e a gente vai falar sobre alguns casos especiais. E, no meio disso tudo, a gente também vai falar sobre a nomenclatura das ações. Então, fica comigo até o final, que esse é um vídeo âncora para você. Mas, antes de começarmos, eu não podia deixar de pedir para você clicar no botão de curtir. Isso é bem importante. Então, dá o seu joinha ali. Isso ajuda o vídeo a chegar em muito mais gente! Especialmente, porque… Deixa eu te explicar uma coisa que não tem a ver com o conteúdo. Tem muita gente entrando no mercado financeiro. Essas pessoas pesquisam no YouTube sobre vídeos que possam ajudá-las a entender a base. E esse é um vídeo de qualidade! Se você curtir esse vídeo, essas pessoas, quando pararem no YouTube procurando esse conteúdo, vão encontrar esse vídeo. Que foi feito com muito carinho, com roteiro, com time, com edição, com produção. Então, curta esse vídeo, que vai ajudar muita gente, para que essa mensagem chegue especialmente aos investidores mais iniciantes. Primeiro, a coisa mais básica de todas: o que é uma ação? Vamos lá. Todas as empresas têm ações. A diferença é que tem empresas que têm ações que são negociadas no mercado, na bolsa de valores, e tem empresas que têm ações que não são negociadas. Geralmente, é aquela empresa do cara que vende hot dog, da moça que é dona do salão de beleza… É uma empresa que não tem ações negociadas na bolsa. Mas todas as empresas têm ações. Por que as empresas têm ações negociadas em bolsa? Porque essas empresas ganham quatro coisas, basicamente. Primeiro: elas ganham capital. Porque elas trocam ações delas por dinheiro. Então, elas ganham capital. Elas ganham visibilidade, porque as ações estão sendo negociadas na bolsa. E muita gente conhece essas empresas que nunca tinha ouvido falar antes. Elas ganham valor de mercado. Então, têm mais liquidez, têm mais interesse… Faz com que o preço delas tenda a, se a empresa for boa, aumentar. Isso é bom para a empresa, o valor dela aumenta. E ela também aumenta sua atratividade para investidores. Porque ela fica mais líquida. Tem mais gente que passa a conhecer a empresa. Tem gente que tem dinheiro e precisa tomar decisões. Só que elas não conseguem olhar para todas as possibilidades que tem. Então, tem umas que saltam na cara delas. Então, aumenta a atratividade dos investidores. Olha que louco: é muito mais fácil você investir numa petrolífera, ou numa empresa de tecnologia, ou uma mineradora, ou num banco gigantesco, do que você investir numa empresa de hot dog. Porque é só você ir lá e comprar uma ação. E fora que também é muito mais acessível. Com pouquíssimo dinheiro… Com R$ 30,00, com R$ 100,00, você consegue investir já em ações. O que é uma ação, então? Além de tudo o que eu falei. Uma ação é uma parte pequena da empresa. Então, você imagina que… A gente tem aqui o Primo Rico. O Primo Rico é uma empresa. Por que é uma empresa? Porque tem funcionário, porque dá lucro, porque a gente cria produtos, a gente tem serviços, a gente tem todos os nossos números, a gente tem conta em banco, a gente tem tudo isso. A gente investe o capital, a gente remunera o nosso capital. Então, isso é uma empresa. Só que o Primo, ele tem várias ações. E temos acionistas, aqui no Primo. Só que, a menor fração possível de negociação, aqui no Primo, é uma única ação. Então, a ação é um pedaço pequeno de uma empresa. Seja uma empresa de hot dog, seja uma mineradora, seja de uma empresa maior. Mas quando você compra uma ação, você vira sócio de uma empresa. Você começa, por exemplo, a participar da distribuição do lucro que essa empresa tem. Na bolsa de valores tem um mecanismo que te blinda em caso de a empresa quebrar. Então, você não precisa se preocupar com isso. Você vai perder o seu capital investido, mas você não vai precisar fazer um aporte por exemplo. Você não tem responsabilidade legal sobre… Se o Executivo fizer alguma cagada… Em sendo um acionista minoritário… Então, quando você compra uma ação, você passa a ter direitos. Especialmente sobre a distribuição de lucro. E é por isso que as pessoas investem, na maioria das vezes. Invisto em uma empresa, porque acredito que ela vai crescer, que ela vai se desenvolver, que ela vai aumentar os seus lucros, e vai me distribuir um proporcional do que eu tenho. Então, se essa empresa tem 100 ações negociadas no mercado e eu tenho 10 ações, e ela vai distribuir um lucro de R$ 100,00 para os seus acionistas, eu vou receber o equivalente a R$ 20,00, porque eu tenho 20% da companhia. Então, ter uma ação é mais ou menos isso. Só que, aqui, a gente tem um segundo ponto importante de falar, que são os dois mercados em que a gente negocia as ações. Por que? Porque quando eu compro e vendo uma ação… Muitas pessoas perguntam: como isso daqui impacta a empresa? E, muitas vezes, isso não impacta a empresa. E você precisa entender, então, que existe um mercado primário e um mercado secundário. No mercado primário é o seguinte: a gente tem uma empresa de hot dog. E essa empresa de hot dog não tem capital negociado na bolsa. Ela é uma empresa de hot dog. Só que, quando ela vai entrar na bolsa de valores, ela entra através de um mecanismo chamado IPO. Que é Initial Public Offer. Então, ela vai fazer uma oferta pública inicial de ações dela. Essa empresa vale R$ 1 milhão e ela tem 1 milhão de ações, então cada ação dela é negociada a R$ 1,00. Ela vai fazer uma oferta pública de 20% do capital dela. Então, ela vai jogar no mercado, vai fazer uma oferta pública de 200 mil ações a mais ou menos R$ 1,00. Então, os investidores vão comprar essas 200 mil ações por R$ 1,00 cada. E agora, o capital do hot dog vai ser 80% de um dono, ou de alguns acionistas, e 20% do mercado. Então, quando ela entrou no mercado pela primeira vez, e esse é um mercado primário, o que acontece é que um dinheiro que estava aqui na mão dos investidores, foi parar no bolso da empresa. E 200 mil ações que estavam no bolso dos acionistas, vieram para esses outros acionistas, os investidores que agora são sócios dessa empresa. Isso daqui é o mercado primário. Quando isso acontece, tem essa troca direta com a empresa. E algumas vezes, mais para frente, a empresa pode fazer, também, o que a gente chama de Follow On. Que é ela vender mais participação aqui do próprio capital dela, ou fazer ofertas novas, emitindo novas ações para esses investidores. Isso é o mercado primário. E por que a empresa faz isso? Por vários motivos! Seja porque o acionista quer ganhar dinheiro… Mas, geralmente, é porque o acionista quer pegar recursos emprestados, para que ele possa investir e crescer. Investir em mais barracas de hot dog, investir para que ele cresça como negócio. Então é por isso que ele, geralmente, pega um capital do mercado. E, além disso, ele tem acionistas e sócios, muitas vezes, estratégicos. Sócios grandes. Não só os sócios pequenininhos e minoritários. Às vezes, entram sócios relevantes aqui, que podem impactar no negócio. Tudo o que eu falei agora é o mercado primário. Só que, quando eu compro e vendo uma ação na bolsa de valores, na B3, eu estou falando do mercado secundário. Aí, quando estou falando no mercado secundário, eu não injeto um capital no caixa da empresa. Geralmente, sou eu… Então, tem o Kaique aqui. O Kaique tem ações de hot dog. Eu quero investir nessa empresa. O Kaique não quer mais. Às vezes, já ganhou muito dinheiro, ou acha que não tem muito potencial. Então, eu vou comprar ações e o Kaique vai vender ações. Então, a gente vai fazer uma negociação. A única coisa que mudou foi que, ao invés de o Kaique ter as ações, agora eu tenho as ações. O que mudou para empresa? Não entrou capital no bolso da empresa. Mas isso é bom. Por que é bom? Porque essa liquidez, essa troca rápida e diária de capital, ajuda os investidores que participaram do IPO a acreditar que faz sentido financiar o crescimento da empresa, virando no sócio da empresa. Porque eu sei que, no futuro, se eu quiser sair, eu tenho liquidez. Então, o Kaique tem liquidez. Por isso ele pôde vender. Precisou de dinheiro, ele vendeu. Eu quis investir, eu comprei. Então, o mercado secundário é importante porque dá liquidez para que as pessoas se sintam confortáveis de investir numa ação, num IPO ou num Follow On. Então, o mercado secundário é isso. Não entra dinheiro no caixa da empresa. A não ser que ela resolva vender ações próprias, que ela comprou na tesouraria dela, no mercado. Mas aí é outro caso. Como eu ganho dinheiro com ações? Existem duas formas principais. Os dividendos e a valorização de capital. O que é a valorização de capital? Se essa empresa de hot dog, que estava sendo negociada a um R$ 1,00, cresceu 100%, ela agora vale R$ 2,00. Então, se eu tinha mil ações a R$ 1,00, eu tinha R$ 1 mil. Logo, como cada ação agora vale R$ 2,00, eu tenho R$ 2 mil reais. Então, isso daqui é a valorização de capital. Eu não necessariamente ganhei dinheiro, porque eu não vendi as minhas ações ainda. Então eu não preciso pagar imposto sobre isso, nada disso. Mas o meu patrimônio aumentou de tamanho. Então, isso é uma forma muito comum de ganhar dinheiro no mercado. Porque o patrimônio vai crescendo, e é como o imóvel. Você investiu no imóvel, ele vai se valorizando com o tempo… Você não vendeu. Mas isso aqui é um patrimônio maior. Essa é a valorização de capital. A outra forma de ganhar dinheiro é quando essa empresa tem lucro, porque vendeu muito hot dog, porque o mercado estava bombando… Pagou todos os funcionários, todos os custos, sobrou um dinheiro. O CEO dessa empresa, junto com o conselho de administração, vai decidir distribuir lucros. E para quem eles vão distribuir lucros? Só para os acionistas. Os lucros vêm depois da bonificação, PLR, tudo isso. Então, eles vão distribuir esse lucro para os acionistas. Se eu tenho um percentual de ações, eu vou receber. Então, se você tem, você também vai receber. Isso daqui, a gente chama de dividendos ou proventos. Os proventos representam várias atribuições especiais. Então, dentro dos proventos, a gente tem dividendos, juros sobre capital próprio e algumas outras coisas. Mas esses são os dois principais. São formas da empresa distribuir parte do seu lucro para os acionistas. Então, quando eu compro uma empresa como a Coca-Cola, eu estou apostando que ela vai crescer e vai destinar o seu louco para os acionistas. E eu quero que ela tenha um lucro grande porque, quanto maior o lucro, mais eu recebo. Essa é a dinâmica. Antes de eu te mostrar que, de fato, a gente ganha mais dinheiro nas ações preferenciais, você precisa entender um conceito que é o Dividend Yield. É muito importante entender isso para você ver como se pode ganhar dinheiro com Dividens. O que é o Dividend Yield? É o dividendo que a empresa paga para você, em relação ao preço da ação. Então, imagina, você tem uma empresa negociada a R$ 1 mil. Essa empresa tem 1.000 ações. Cada ação custa R$ 1,00. E aí, essa empresa teve um lucro por ação equivalente a R$ 0,50, certo? Só que ela vai distribuir, desse lucro por ação, 50% disso. 50% disso, é o que a gente chama de Payout. Quanto é o Payout? 50%. Logo, ela vai distribuir 50% de R$ 0,50, que vai dar R$ 0,25 por ação. Então, se eu tenho uma ação que custa R$ 1,00, e eu vou receber R$ 0,25 por ação, eu vou receber um Dividend Yield de 25%. Que seria um Dividend Yield de 0,25 sobre R$ 1,00, que vai dar 25%. Isso é o Dividend Yield. Então, geralmente, quanto maior, melhor. É claro que você precisa ver se não teve nada recorrente, se não tem algum risco que você não está enxergando… O que eu aprendi ao longo do tempo, é que um Dividend Yield muito alto representa alguma pegadinha que você não está entendendo. Mas pode ser só coisa da minha cabeça. Então esse é o Dividend Yield, quanto maior, melhor. Separei uma lista de ações preferenciais e ordinárias para você ver como funciona isso na prática. Então, pega o Bradesco. O Bradesco… As ações PN dele distribuíram mais ou menos 8,28%… Ao preço de hoje de Dividend Yield. Significa que para cada R$ 100,00, você, ao preço de hoje, ao mesmo cenário, ganharia R$ 8,27. Agora, nas ações ON, você receberia 8,07. Então, você recebe um pouquinho menos. No longo prazo, acaba virando uma diferença relevante. Se você for olhar em Itaúsa, as PN dão 5,61 contra as ON que dão 4,70. Se você for olhar Petrobras, a gente está falando de 2,70 contra 1,86. Então, essa diferença é relevante e no longo prazo faz uma diferença grande. Mas, é claro, precisa ser visto caso a caso. Porque, mesmo as ações preferenciais pagando mais, às vezes, as ações ON ficam tão baratas, que o Dividend Yield… Como um componente deles é o preço… Acaba ficando mais atrativo comprar uma ação ON do que uma ação PN. Agora, e sobre a segurança? Como funciona a segurança em ações? Bom, existe um órgão que regula todo o mercado de corretoras, investimentos… Que é a CVM, Comissão de Valores Mobiliários. Ou seja, ela cuida dos valores mobiliários. Então, todo o mercado é regulado pela CVM. Quando tem alguma irregularidade, é a CVM que, geralmente, resolve, intervém, estuda para ver se faz sentido, se não faz, se teve um rolo… Mas, quando você compra ações, você compra ações através da B3, não é? Mas, na verdade… Imagina que a B3, que é a bolsa, é um ambiente de negociação. Você imagina que a B3 é a Feira. Você vai na feira para você colocar lá compras e vendas. “Eu quero comprar tantas ações! Eu quero vender tantas as ações!” Aqui é a feira, é o ambiente de negociação. Mas você nunca pode ir na feira. Imagina que você tem que sempre ter alguém te representando lá. Esse daqui, é o agente custodiante. Então, quando você abre conta na Rico, que é a corretora que eu invisto, ou em qualquer outra corretora, esse daqui é o seu agente custodiante. Então, quando eu coloco uma ordem de comprar ações na B3, vai aparecer lá uma ordem em nome da Rico. E uma ordem de venda em nome da Rico ou de outra corretora. Então, é sempre um agente custodiante que vai te representar dentro da bolsa. Aí você vai e compra uma ação. Onde ficam essas ações? Então, eu comprei ações de Petrobras. Comprei ações de Petro3. Onde ficam essas ações? Ficam na Rico? Não ficam na corretora. Elas ficam na CBLC, que é a Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia. Então, olha que interessante: eu negocio tudo isso daqui dentro da B3, que é um ambiente de negociação, sendo representado pelo meu agente custodiante, que é a corretora, e quando eu compro uma ação, ela é registrada no meu CPF. E fica lá na CBLC. Só que eu consigo visualizar tudo isso pela corretora. Que é mais bonitinha, tem todo o sisteminha, eu visualizo tudo por aqui. Ou, eu consego visualizar também pelo CEI, que é o Canal Eletrônico do Investidor. Só que, aí, você pode se perguntar: e se a corretora quebrar? O que acontece? Eu vivi um momento em que muitas corretoras já quebraram, no passado. Já teve muito problema. Hoje já mudou um pouco o cenário. Então, tem duas coisas que a gente precisa saber. Primeiro: qual é a segurança da corretora como empresa? Então, por exemplo, eu invisto pela Rico. A Rico faz parte do grupo XP, que é um grupo gigantesco, uma empresa que vale mais de R$ 5 bilhões. Então tem o respaldo, tem uma grande segurança. Mas, vamos supor que, mesmo assim, dá algum problema e ela some. Eu vou perder todo o meu dinheiro? Eu não vou perder todo o meu dinheiro. Porque eu virei sócio de várias empresas. E essas ações estão custodiadas lá na CBLC. Ou seja, é só eu chegar em uma corretora concorrente, e falar: “olha, corretora, eu tenho ações que estão lá na CBLC. Transfere para mim essas ações para cá, para que eu possa visualizar por aqui e utilizar vocês como meu agente custodiante?”. Ou agente CBLC, né? A corretora vai preencher um termo, você transfere as ações e pronto, acabou. E quando você compra uma ação, você recebe um comprovante de compra. Como se fosse uma nota fiscal. Você comprou um produto, tem uma nota fiscal. Só que, no mercado financeiro, isso é chamado de nota de corretagem. E toda vez que eu compro pela Rico, eu recebo no e-mail. Eu tenho acesso na minha área logada. Então, eu tenho lá uma nota de corretagem com tudo o que eu comprei, quantidade, preço, impostos, taxa.. Tem tudo. Isso aqui é a minha nota de comprovação. Então, essa é a sua segurança. Você não precisa se preocupar com a corretora. Na verdade, não é que você não precise se preocupar. Porque tem um risco de fraude. Por isso, você precisa sempre exigir todos os seus extratos. Então, exija os seus tratos. Verifique no canal eletrônico do investidor, se de fato as suas ações estão lá… Porque pode ter fraude no meio. E no passado já aconteceu. Mas é por isso que voce tem que buscar instituições sólidas e entender como funciona esse sistema financeiro. E deu algum problema, para quem você vai reclamar? Para a CVM. Agora, quais são os tipos de ações? A gente tem sempre quatro letrinhas em um número. Todas as ações são compostas dessa forma. Quatro letrinhas e um número. Então, vamos pegar o exemplo da Vale, a Vale do Rio Doce. Você vai ver que elas não são negociadas pelo nome completo. Elas têm códigos, que é para facilitar no dia a dia. Parece que dificulta no começo, mas depois facilita. Porque você ganha velocidade, agilidade e muita coisa. Então, a Vale do Rio Doce: o código dela é Vale, só. Quando você pega Gerdau, o código é GGBR. Quando você pega Usiminas, o código é USIM. Eletrobras, o código é ELET. Então, o que você vai perceber aqui? Que sempre tem quatro letras. Então, a primeira parte que a gente precisa saber é: todo ativo que é negociado na B3 tem quatro letras. Todo ativo de renda variável, dentro do mercado à vista, tem quatro letras. Então, isso a gente já entendeu. Agora, e esse numerozinho que vem depois, o que ele significa? Porque você vai ver 3 no final… 4, 5, 11, 12, vai ver um monte de coisa. 6… “O que é isso?”. E você vai entender agora o que significa. O 3 significa ações ordinárias. Então você vai ter VALE3, isso é uma ação ordinária de Vale. Já vou falar o que significa. Se você tem o 4, é uma ação preferencial de Gerdau. Se você tem o 5, é uma ação preferencial classe A. E se você viu 6, é uma preferencial classe B. E se você vê 11, é uma Unit. Se vê o 34, é um BDR. Beleza. Então já entendemos que isso daqui nos ajuda a diferenciar o tipo da ação. O que significa cada tipo? O tipo 3 são as ações ordinárias, que te dão direito ao voto. Os acionistas controladores, geralmente têm ações ordinárias. Quem tem ações ordinárias, pode votar numa assembleia. Pode, basicamente, mandar na empresa. Só que, veja só: se eu tenho uma ação dentro de 1 bilhão de ações… Eu vou mandar o equivalente a uma ação dentro de 1 bilhão de ações. Então, eu mando proporcionalmente ao que eu tenho em ações. Então, não faria muita diferença. Então, a não ser que o seu objetivo seja adquirir o controle da empresa, alguma coisa assim… Talvez não faça muito sentido. Tirando outras coisas que eu vou falar daqui a pouco. Então, ações ordinárias te dão direito ao voto. Você tem a mesma classe de ações, geralmente, que o acionista controlador. Então, é bom porque você está alinhado com ele. Você, muitas vezes, tem um Tag Along. Então, se o acionista controlador vai vender uma participação, você tem direito, na maioria das vezes, de vender as suas ações numa mesma negociação que ele. Então, geralmente, essas ações têm esse benefício. De votar. Mas não contribui muito para todos os acionistas. Por outro lado, a gente tem o número 4, que são as ações preferenciais. O 4, o 5 e o 6 são muito parecidos. O que significa as ações preferenciais? São aquelas que te dão preferência à distribuição de dividendos, à distribuição de lucro. Então, geralmente, essas ações… Não vão te dar voto lá no assento, para você dominar, para mandar na empresa… Mas elas vão te ajudar a receber mais dinheiro. Então, se você tem um foco em: “não quero mandar na empresa, eu quero receber lucro!”, você, geralmente, tende a buscar ações preferenciais que vão te dar mais dividendos. E, geralmente, é o foco da maioria das pessoas físicas. Não é mandar na empresa. É remunerar o seu capital de uma forma mais eficiente. Agora, o que seria o número 11 na frente? Ele, geralmente, representa… Quando você está falando de ações, as Units. Se você estiver falando de fundos imobiliários, ele também representa fundos imobiliários. Vamos para alguns exemplos. Uma Unit é como se fosse um pacote de ações que tem ações ON e PN dentro. Então, quando você compra uma ação de Vale3, você comprou uma única ação de Vale3. Quando você compra a GGBR4, você comprou um GGBR4. Quando você compra uma SAMB11, você não comprou uma ação de Santander. Você comprou uma Unit de Santander. E, dentro dessa Unit, você tem algumas ações PN e algumas ações ON. É como se você tivesse comprado elas juntas. Por exemplo, se a gente for falar de Klabin, KLBN11… Cada uma ação, ou uma Unit, que você comprar de KLBN11, você vai estar comprando, na verdade, uma ação ordinária e quatro ações preferenciais. Então, você está comprando um pacotinho de cinco ações que tem uma ordinária e quatro preferenciais. Então, uma Unit tem que valer o equivalente a uma ordinária e quatro preferenciais. Se estiver valendo menos, pode ser a possibilidade de você arbitrar e comprar isso daqui. Mas, você tem que saber que você está comprando mais de uma única ação. Por que isso acontece? Porque, às vezes, as ações têm pouca liquidez. Então, elas negociam pouco. E, para os acionistas, e para o mercado, e para a empresa, é bom que essas ações tenham mais liquidez, que elas sejam mais negociadas. Então, eles juntam tudo em um pacotes… Porque aí todos os acionistas são obrigados a negociar a mesma classe de ação. Seria a Unit. Então, por exemplo: eu tenho aqui AES Tietê, TIET3. Ela negociava em volume R$ 62 mil. A gente está falando em milhares. A 4, R$ 135.000,00 e a 11, R$ 2.509.000,00. Então, a Unit negocia mais do que as outras duas. E, se você for ver todas na bolsa, todas! As Units têm mais liquidez. Alupar: a Unit tem mais liquidez. Banco Inter: tem mais liquidez. BTG Pactual: tem muito mais liquidez. Energisa: mais liquidez. Klabin: mais liquidez. Então, todas na bolsa têm mais liquidez como Unit. Teve até uma polêmica, num momento aí, sobre conversão de ações em Units de Banco Inter. Eu falei: “gente, eu vou converter, porque vai me dar mais liquidez”. Aí muita gente achou que: “não, você está louco!”, e tal. E o que acontece, que a gente está vendo aqui, é que, de fato, tem mais liquidez. Banco Inter também. Então, é por isso que acontece essa conversão em Units. Às vezes, você vai ver um 12 no final. O 12 é subscrição. Se você quiser entender um pouco mais sobre subscrição, é só você clicar nesse vídeo, que eu vou deixar aqui, em que eu subscrevo para você ver como funciona essa operação. Mas eu não vou focar nisso nesse vídeo. E aí tem o tipo 34, que eu falei para vocês, que é BDR. Os BDRs são um pouquinho diferentes de ações. Por que? Porque quando a gente está falando de ações, a gente está negociando as empresas negociadas na B3, na nossa bolsa. Mas, quando a gente está falando de BDRs, estamos falando de ações que não são negociadas na nossa bolsa. Que são negociadas, por exemplo, na bolsa dos Estados Unidos. Então, como funciona isso? Se as ações são negociadas lá, como eu consigo comprar e vender aqui? É porque existe uma parte dessas ações lá fora, que eles deixam em garantia e utilizam como lastro para recibos de negociação daquelas ações na nossa bolsa. Então, eu tenho uma série de BDRs aqui no Brasil de, por exemplo, Disney. Eu tenho BDR de Disney. Então, eu recebo dividendos de Disney. Recebo uma série de coisas de Disney. A Berkshire, que é a empresa do Warren Buffett… Se você tiver BDRs, você pode ir no evento anual deles, lá, que é só para quem tem ações, por exemplo. Então, é muito semelhante. Tem algumas pequenas diferenças que, se você quiser entender, é só você assistir esse vídeo aqui de BDR. Mas é muito parecido. Você compra BDRs, você recebe dividendos, você recebe a valorização ou desvalorização… Mas o ponto é: como elas são negociadas fora do país e em dólar… Isso é que impacta o seu dinheiro. Então, se as ações lá fora não se mexerem, mas o dólar subir 100%, você vai ganhar 100% por causa da variação cambial. Por outro lado, se o dólar cair e a ação cair também, você pode perder bastante. Mas, uma diversificação interessante. Para que você tenha países diferentes, classe de ativos diferentes, e entenda do que a gente está falando. Tem uma série de BDRs interessantes que a gente pode negociar. A gente tem BFRs da Adobe, por exemplo, da Activision, do Google, da Apple… Você tem uma série de coisas interessantes aqui, que devem entrar na sua análise. Inclusive, você pode converter BDRs em ações lá fora, em alguma conta que você tenha no exterior, em algum momento, se você quiser. Eu poderia. Mas não faço isso. Para mim não faz sentido, hoje. Mas eu poderia fazer isso se eu quisesse. E muito importante é falar sobre imposto de renda. Tem dois tipos de operações que as pessoas costumam fazer. Tem as operações de Swing Trade e Day Trade. As operações de Swing Trade são aquelas em que você compra uma ação hoje e você vende em outro dia. Você pode vender amanhã, ou semana que vem, ou daqui a um mês, ou daqui a um ano, ou daqui a cinco, dez anos. Isso é um Swing Trade. Agora, se você compra uma ação e vende no mesmo dia, isso é um Day Trade. E quando você faz uma operação diferente aqui, é importante você saber o que você está fazendo, porque o imposto é diferente. Se você faz um Day Trade, geralmente você paga 20% sobre o seu lucro. E se você faz um Swing Trade, você paga 15% sobre o seu lucro, numa condição normal, de pessoa física operando. É claro, existe também uma sacadinha aqui. No Swing Trade, você tem uma isenção de até R$ 20 mil, caso você venda dentro do mesmo mês. Se você quiser entender um pouco mais sobre essa isenção, tem um vídeo aqui, em que eu explico porque eu faço essa operação todos os meses e economizo um dinheirão de imposto. Se você tem algum amigo que está começando a investir em ações, que tem dúvidas, que quer começar… Pega esse vídeo e manda para ele. Isso aqui é a base sólida que essa pessoa precisa ter para começar a investir em ações da forma correta. E depois é só assistir os vídeos aqui no canal, para entender um pouco mais sobre como analisar, como escolher, como montar sua carteira, filosofia de investimentos, método e tudo m

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments