Moto E20 é bom? Vale a pena? Análise/Review/Ficha Técnica Completa

890 visualizações3 de nov. de 2021

A Motorola tem apostado cada vez mais no mercado de entrada no Brasil e para expandir ainda mais o seu portfólio, a fabricante lançou recentemente o Moto E20. O aparelho, sai de fábrica com tela HD+ de 6.5 polegadas, bateria de 4.000 mAh, processador Unisoc T606 e 32GB de armazenamento. Mas será que vale a pena comprar? Saiba tudo nos próximos minutos. E se você gostar, confira o preço em nossa loja pelo link que está na descrição ou no primeiro comentário fixo. Entrega rápida e frete reduzido. Deixamos também links de outras lojas na descrição pra você comparar. Pontos Positivos Em relação ao design, pouca coisa mudou se compararmos com os outros modelos da linha. Na frente, há um notch em formato de gota e uma pequena borda na parte inferior, enquanto na traseira, que é feita de uma peça única de plástico, estão o leitor de digitais e o módulo de câmeras. A Motorola adicionou um acabamento em formato colmeia na tampa, o que deixa o visual bastante diferente e chamativo. Nas laterais, há os botões de volume, de energia, o do Google Assistente e a gavetinha para chips. E por fim, embaixo, está a saída de som e a entrada USB-C. Sim, essa entrada finalmente chegou por aqui! O aparelho tem uma boa pegada e o seu peso de apenas 185 gramas faz com que o seu uso seja confortável. A tela IPS LCD de 6.5 polegadas do modelo possui resolução HD+ de 720 x 1600 pixels, com densidade de 270 ppi. O display é o mesmo presente nos modelos E7 e E7 Plus, e portanto, atende bem para a faixa de preço. No geral, a tela apresenta bons ângulos de visão, quantidade de cores adequada e nível de brilho satisfatório. O Moto E20 vem equipado com o processador Unisoc T606, aliado a 2GB de RAM. Apesar da configuração simples, o desempenho do E20 se mostrou sólido e as atividades do cotidiano podem ser feitas sem problema. O sistema parece bem otimizado e a abertura e a troca entre aplicações têm uma boa velocidade. Aplicativos de redes sociais como Instagram, Twitter e TikTok, de consumo de mídia como Netflix e YouTube, de produtividade como Gmail, Todoist e Trello e apps de bancos funcionaram corretamente e com uma boa fluidez. Em jogos, títulos leves como Plants vs Zombies e Vector rodam com folga. Free Fire e Roblox também funcionam bem, mesmo com gráficos no médio. Já games mais pesados como COD e Asphalt precisam ser executados com gráficos no mínimo, mas é comum observar engasgos que dificultam a jogatina. O aparelho roda o Android 11 GO, versão mais leve do sistema da Google, desenvolvido para consumir menos recursos do hardware. Apesar de ser mais enxuto, o software conta com as principais funções, como o modo escuro, a navegação por gestos, o bem estar digital e mais. A Motorola também adicionou os seus famosos gestos para ativar a câmera, abaixar a barra de notificações pelo sensor de digitais, capturar a tela com três dedo, etc. O E20 conta com duas câmeras traseiras, de 13 e 2 megapixels. A principal consegue se sair bem ao tirar fotos em locais iluminados e as imagens capturadas possuem uma boa nitidez e uma quantidade de detalhes apropriada. Porém, em locais com pouca luz, é possível ver as limitações do sensor, pois as fotos saem com baixa definição e com ruídos aparentes, algo comum em aparelhos com este preço. Já o sensor de profundidade consegue fazer bem o seu trabalho na maioria das vezes. A câmera frontal possui 5 megapixels e também apresenta melhor desempenho em fotos diurnas. O dispositivo filma ainda em Full HD a 30 FPS. Este Moto E conta com uma bateria de 4.000 mAh e a autonomia apresentada está dentro dos padrões. Em uso moderado, respondendo mensagens e consultando redes sociais, dá pra chegar tranquilamente até o fim do dia com carga. Já para uso contínuo, a média é de 7 horas de tela ligada. O carregador de 10W enviado na caixa leva duas horas para dar uma recarga completa no aparelho. No mais, o E20 conta com Wi-Fi com suporte a redes de 2.4 Ghz, Bluetooth 5.0 e entrada para dois chips mais um cartão de memória. Pontos Negativos Apesar de apresentar uma boa performance, a memória RAM de apenas 2GB pode ser um problema para quem utiliza muitos aplicativos pesados em paralelo. Outra limitação é o armazenamento. O sistema em si consome pouca memória, mas os 24GB livres podem não ser suficientes para aqueles que baixam muitos apps e arquivos. Além disso, a Motorola não costuma atualizar o sistema de seus smartphones de entrada, portanto, não espere receber o recém-lançado Android 12 por aqui. O quesito sonoro é um problema em aparelhos de entrada e isso também acontece no E20, pois o dispositivo conta com um alto-falante mono que é bem limitado. Dá pra ouvir músicas, áudios e podcasts sem problemas, mas os sons emitidos tendem para o agudo e os graves são quase imperceptíveis. Em compensação, o fone de ouvido enviado possui uma boa qualidade. Por fim, conforme mencionado anteriormente, as câmeras são bem limitadas em condições de baixa luz. Pra concluir, será que o Moto E20 vale a pena? O aparelho da Motorola apresenta um bom conjunto e o usuário que utiliza redes sociais, navega na internet, assiste vídeos e utiliza as ferramentas de produtividade do dia a dia será bem atendido. A performance nas tarefas básicas surpreende e o desempenho é melhor do que a do Moto E7. Porém, o aparelho ainda fica um pouco atrás do E7 Plus e portanto, antes de comprar é bom conferir o preço desta versão. Independente de qual escolher, compre pela nossa loja, o

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments